terça-feira, 25 de junho de 2019

Alocação de Ativos + Rebalanceamento Um Breve Estudo



Sou praticante fervoroso da alocação de ativos e não, isso não é uma religião, na verdade é quase uma religião, mas não tem divindades e nem livros sagrados, no máximo dividendos e livros de gurus (HORRÍVEL!!, poderia ter apagado a piada, mas deixarei aí para a posteridade).
Na verdade o intuito deste artigo é explicar como funciona a alocação de ativos na prática e qual a diferença que faz ao aplicarmos essa técnica em nossa carteira.

A Alocação de Ativos


A teoria nos diz que quando investimos em mais de um ativo o seu retorno será a média ponderada dos retornos do ativos, em outras palavras, se temos 50% da carteira em BOVA11 e 50% da carteira em BBDC3 e se no período em que você está estudando BOVA11 variou positivamente 20% e BBDC3 10% o seu retorno será de 15% que seria a média ponderada dos retornos, que neste caso é igual a média simples pois o peso em carteira dos dois ativos são iguais, da mesma forma acontece quando o retorno é negativo, se BOVA11 rendeu 20% e BBDC3 rendeu -10% o seu retorno será de apenas 5%, exemplificando, se o seu patrimônio for de R$100,00 em BOVA11 e R$100,00 em BBDC3 totalizando R$200,00 iniciais, no primeiro caso seu BOVA11 termina com R$120,00 e seu BBDC3 termina com R$110,00 terminando com R$230,00, ora R$230,00 é um rendimento de 15% em cima de R$200,00 o que confirma nossa conta e da mesma forma acontece quando a rentabilidade é negativa como no segundo caso onde BOVA11 também termina com R$120,00, porém BBDC3 termina com R$90,00 totalizando um patrimônio final de R$210,00 o que representa 5% em cima de R$200,00.

Provado como funciona o mecanismo de alocação de ativos, vamos tentar entender do para que utilizamos isso em nossos investimentos, perceba que no segundo caso do parágrafo anterior houve uma variação negativa de um ativo porém meu resultado final não foi negativo, isso significa que minha carteira ficou protegida da queda e quando falamos de investimentos é muito importante sabermos não perder dinheiro na bolsa, claro que existem alguns dispositivos e técnicas no mercado de renda variável que nos ajudam a proteger nosso patrimônio, uma delas é diversificar muito a carteira utilizando uma alocação pré determinada para cada ativo,é uma conta simples, se você possui 1 ativo e ele desvalorizar 100% você perdeu tudo de forma que:
  • 2 ativos = 50% de alocação em cada  = 50% do patrimônio em risco;
  • 3 ativos = 33,33% de alocação em cada = 33,33% do patrimônio em risco;
  • 4 ativos = 25% de alocação em cada = 25% do patrimônio em risco;
  • 5 ativos = 20% de alocação em cada = 20% do patrimônio em risco;
  • .........
  • 100 ativos = 1% de risco de alocação em cada = 1% do patrimônio em risco;
Claro que ninguém possui 100 ativos, ou será que tem? O fundo Fidelity Magellan Fund gerido por 13 anos pela lenda Peter Lynch teve uma puta rentabilidade de 2.900% no período e possuia mais de 700 ações, logo podemos inferir que a diversificação possui outro presentinho escondido aí que seria um prêmio maior para uma maior diversificação porém você ficaria louco acompanhando os fundamentos de 700 ações, ah sim, quando diversificamos estamos nos protegendo do risco de mercado, é o risco de uma ação despencar de preço, existe um outro risco que é o risco de TUDO despencar, que chamamos de risco sistêmico, a diversificação não te protege deste outro risco.

Voltando ao assunto principal.

A  alocação de ativos funciona como uma espécie de radar de investimentos, isso mesmo, um radar de investimentos. O que acontece é que na verdade não sabemos o que vai acontecer  com os preços dos ativos (colocação perfeita essa!), no máximo damos um chute, mas como os ativos escolhidos são teoricamente boas empresas nós colocamos nosso dinheiro lá e torcemos para que o ativo se valorize sem parar pro resto da vida, mas na vida real não é isso que acontece, na vida real temos gravidade e por conta disso tudo que sobe...

Vamos tomar o exemplo onde BOVA11 valoriza 20% e BBDC3 cai 10%, inicialmente a nossa alocação está com 50% pra um e 50% para outro, segue imagem:
Ao fim do processo teremos R$120,00 de BOVA11 e R$90,00 de BBDC3, utilizando de toda a matemática financeira que eu aprendi lá na minha 4ª série fraca, agora teremos 57,14% de BOVA11 e 42,86%, ficando assim nossa pizza desbalanceada:
Vixe agora lascou tudo o que eu faço com essa pizza??? Fácil, basta retornar ela para alocação original, caso você tenha dinheiro para aportar, aporte em BBDC3 e volte a configuração original, caso não tenha dinheiro novo para aportar venda um pouco de BOVA11 e compre BBDC3 e volte a alocação original, claro que não é saudável fazer isso muitas vezes, o rebalanceamento excessivo vai enriquecer a corretora e te empobrecer, depois você vai sair por aí falando mal da bolsa de valores pois perdeu dinheiro na bolsa.

Matematicando


 Pra quem acompanha o blog, sabe que eu gosto de explicar provando em números, da mesma forma que um professor de matemática BOM gosta de fazer.

Irei colocar aqui algumas premissas para desenvolvermos nosso raciocínio, iremos investir em somente dois ativos, para não complicar, os ativos escolhidos serão Tesouro SELIC e BOVA11, pra quem não sabe BOVA11 é um ativo (ETF) que tem por objetivo de vida replicar o IBOV, em suma se o IBOV subir 2%o BOVA11 irá se esforçar para fazer o mesmo.

A outra premissa é de que não haverão novos aportes, será um único aporte de R$100.000,00 e serão feitos rebalanceamentos anuais, todos os meses de Janeiro.

O período estudado será entre o início de 2009 ao fim de 2018, segue gráfico retirado do tradingview do comportamento de preços do BOVA11 no período estudado:

https://www.tradingview.com/x/ivsJSH1W/

 

Então em 2009:


Compramos R$50.000,00 de BOVA11 e R$50.000,00 de Tesouro SELIC, para facilitar o calculo não irei levar em consideração os descontos de IR das venda realizadas.
Se simplesmente não mexermos na carteira e no final do ano de 2018 você resgatasse o dinheiro você teria um patrimônio de R$110.233,80 em BOVA11 e R$128.395,54 em Tesouro SELIC, resultando num patrimônio final de R$238.629,34,alcançando uma rentabilidade de 138,63%, guarda esses valores aí que agora faremos os rebalanceamentos.
 

Rebalanceamentos


JAN/2009: 1.303 BOVA11 e 13 Títulos LFT (Tesouro SELIC), Patrimônio: R$100.000,00

JAN/2010: 1.303 BOVA11 valem R$89.320,65 e 13 Títulos LFT valem R$53.214,46, Totalizando: R$142.535,11. Vendo 263 BOVA11 e invisto dinheiro em LFT comprando 4,4 títulos, a nova posição é de 1.040 BOVA11 e 17,4 títulos.

JAN/2011: 1.040 BOVA11 valem R$71.760,00 e 17,4 LFT's valem R$78.132,44, totalizando R$149.892,44. Vendo 0,70 LFT's e compro 46 BOVA11, assumindo nova posição de 1.086 BOVA11 e 16,7 LFT's.

JAN/2012: 1.086 BOVA11 valem R$61.369,86 e 16,7 LFT's valem R$83.909,32, totalizando R$148.279,18. Vendo 2,54 LFT's e compro 225 BOVA11, com nova posição de 1.311 BOVA11 e 14,16 LFT's.

JAN/2013: 1.311 BOVA11 valem R$79.721,91 e 14,16 LFT's valem R$77.179,22, totalizando um patrimônio de R$156.901,13. Vendo 20 BOVA11 e compro 0,23 LFT's, com nova posição de 1.291 BOVA11 e 14,39 LFT's.

JAN/2014: 1.291 BOVA11 valem R$64.846,93 e 14,39 LFT's valem R$84.892,94, totalizando um patrimônio de R$149.739,87. Vendo 1,69 LFT's e compro 199 BOVA11, com nova posição de 1.490 BOVA11 e 12,7 LFT's.

JAN/2015: 1.490 BOVA11 valem R$71.713,70 e 12,7 LFT's valem R$83.095,08, totalizando um patrimônio de R$154.808,78. Vendo 0,86 LFT's e compro 118 BOVA11, com nova posição de 1.608 BOVA11 e 11,84 LFT's.

JAN/2016: 1.608 BOVA11 valem R$65.928,00 e 11,84 LFT's valem R$87.576,45, totalizando um patrimônio de R$153.504,45. Vendo 1,46 LFT's e compro 264 BOVA11, assumindo posição de 1.872 BOVA11 e 10,38 LFT's.

JAN/2017: 1.872 BOVA11 valem R$108.557,28 e 10,38 LFT's valem R$87.716,81, totalizando um patrimônio de R$196.274,09. Vendo 179 BOVA11 e compro 1,23 LFT's, com nova posição de 1.693 BOVA11 e 11,61 LFT's.

JAN/2018: 1.693 BOVA11 valem R$125.282,00 e 11,61 LFT's valem R$107.703,07, totalizando um patrimônio de R$235.985,07. Vendo 98 BOVA11 e compro 0,78 LFT's e a nova posição é de 1.595 BOVA11 e 12,39 LFT's.

Fechamento de 2018: No fechamento de 2018 1.693 BOVA11 valem R$143.227,80 e 12,39 LFT's valem R$122.370,83, totalizando um patrimônio de R$265.598,63, alcançando uma rentabilidade de 165,60%.


Conclusão


A técnica é simples e a diferença de rentabilidade em 10 anos foi de 26,97% no caso estudado, porém o que devemos analisar foi que essa diferença nos entregou pouco mais de R$26.000,00, agora imagina um patrimônio milionário... e um bilionário? Não é de se jogar fora alguns milhões certo?

Olhando para o gráfico percebemos que de 2010 a 2016 foi um longo período de baixa da bolsa brasileira e que a mesma só voltou a subir de 2017 em diante, entretanto nesse ciclo de baixa o patrimônio ficou quase que protegido, observe a evolução patrimonial ao longo desses 10 anos:


Observe que no grande período de queda da bolsa o patrimônio ficou lateralizado e quando a bolsa volta a subir o patrimônio dispara, pois aumentamos a posição em bolsa durante a baixa.

Outro ponto importante a ser observado é que se tivéssemos investido 100% em bolsa a rentabilidade seria de 121% e se tivéssemos investidos 100% na Renda Fixa teríamos uma rentabilidade de 164,51%, ou seja, numa estratégia simples de alocação de ativos com rebalanceamento de carteira batemos tanto o IBOV quanto o CDI.

Por isso que eu gosto tanto dessa estratégia, no longo prazo não tem pra ninguém.

Fontes


https://br.advfn.com/indicadores/taxa-selic/valores-historicos
https://br.tradingview.com/chart/6WtlfTCj/#
https://sisweb.tesouro.gov.br/apex/f?p=2031:2:0::::
https://www.istoedinheiro.com.br/noticias/investidores/20000531/licao-lynch/24678

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Quem sou eu

Minha foto
Olá, eu sou o Guilherme Costa, tenho 30 anos, sou servidor público, pai, marido, investidor e por último não menos importante, estudante de Engenharia Elétrica mas como ultimamente tenho "respirado" mercado financeiro estou completamente desmotivado com a Engenharia e estou buscando um curso de graduação voltado para o mercado financeiro, ainda não me decidi, cenas dos próximos capítulos. 25/06/2019